18 de abril de 2012


Falta algo que faça falta.
Sentado, miúdo, aqui ao lado
só o marasmo me presta fiel companhia;
e essa mansidão despreocupada
muito me preocupa...
Quando deixamos pois de sentir dor,
antes de nos darmos conta
já não sentimos mais falta do amor.
.

16 de abril de 2012

Marítimos ventos que levam os sais
retornam lentos e doces, tais quais
caracóis flutuantes em brisas noturnas.
Curvas soturnas da Brisa continental
que quente, suave e quase carnal
sopra e abre mares e pernas...
Línguas ternas lambem o sal
das bocetas molhadas em poesia imoral.







- à guria de negros caracóis ariscos.

14 de abril de 2012


Pequenice ilustrada assim em zoom
pode acabar dando problema...
Quando a gente procura a beleza do micro,
sempre termina encontrando poema.
.

9 de abril de 2012


Ser-humano eu achei ser divino,
mas mataram a grito meu ser-canino.
Não suportaram os latidos lunáticos
fraseados em revelações solares
que tais símios terráqueos e dos mares
temiam um dia ver realizar...
Há ainda de haver equidade
e os pleonasmos não serão dados aos risos
pois os meus melhores amigos
mesmo que desastrados e desadestrados
ainda são os homens.
.
 

Copyright 2010 Verbo Intransigente.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.