19 de fevereiro de 2012

"Dançar é criar raízes para dentro" ~ Rita Loureiro


Ponderâncias desavisadas que fabrico em sonos deltas
avisam de desconhecimentos que insistem em grudar
nos meus calcanhares.
Sou sol em áries, mas se ando descalça
é porque devo meu sal a Odé.
Ando então na ponta do pé;
pode parecer dança,
mas é medo de criar raízes.
.

7 de fevereiro de 2012


Busquei em todas as literaturas da Terra
o entendimento de todas as iluminuras do céu.
Parei no véu.
Cavei tanto a minha dúvida
pra constatar que certezas não são verdades;
certezas não prestam.
A verdade nunca está certa de si.

Esburacada de tanto cavucar dúvidas,
sinto então preencher-me o fluir
que tenho devaneado em versos pretéritos:
a verdade vem,
perpassa meus poros sem que eu note,
e se vai, sem estacionar em mim...
E essa dúvida que sinto em furos
são as vias por onde me experimento.

Post scriptum:
Tal devaneio aqui não tem intento.
Mas se serviu pra lhe confundir,
já cumpriu sua vocação.
- Na dúvida, permaneça na dúvida!
.

5 de fevereiro de 2012


Das complementaridades sinto
que mais oposta sou àquilo que me faz bem.
Se é equilíbrio ou contravenção, nem sei
sei que não quero o espelho;
prefiro o gêmeo
que de tão idêntico, me contrapõe.
Geminialidade seria a ilusão dúbia da mesma coisa
ou a percepção una das lateralidades?
De qualquer forma, posso me dividir em metades
só pra poder completar...
ou posso só contemplar:
o incompleto é sempre lindo se for múltiplo
- poder experimentar do primeiro ao último
descobrindo-se em infinitas possibilidades.
.
 

Copyright 2010 Verbo Intransigente.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.