4 de agosto de 2011


Me apaixonei por um certo verso;
e coitado do poeta que o pariu.
Persigo-o até hoje com juras de amor
"Rima-me, ó deleite decassílabo..."
Ai de mim nesse apego sem nexo.
Já o léxico que me pariu
se comunica por grunidos gurutais
e socos no próprio tórax.

Hei de ser parida um dia
em longos versos de cetim...
viverei e morrerei feliz
sobre a pele de um deus infeliz

Hei de um dia morrer apego e nascer verso
- e dará no mesmo...
viverei e morrerei infeliz
como todo amante ou poeta.
.

4 bedelhos:

Mel Andrade disse...

Me apaixonei por um certo poeta e coitada de mim que fudi esse verso. ("como descoisar a poesia alheia em uma frase")

Mel Andrade disse...

Brinks, se vc achar esse canal de ser fênix da palavra e do amor, me indique pra estágio. Beijas. =*

Jamile Correia disse...

menina, vc pinta, tece, não digita.

Mel Andrade disse...

Acho que essa menina da foto é minha filha, sério.

 

Copyright 2010 Verbo Intransigente.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.